quarta-feira, 5 de agosto de 2009

E quando o que você mais quer é a única coisa que você não pode ter?

"Ele não sabia se ela estaria lá, era o lugar preferido dela, mas isso foi à anos. Atravessou o restante do caminho, passou pelas últimas árvores e lá estava ela, imponente, sua forma sombreada pela luz da Lua que só não brilhava tanto quanto ela. Seus cabelos esvoaçando , jogados ao vento frio. Ela virou-se para fitá-lo, mesmo com todos aqueles anos seu olhar não perdera o poder sobre ele. Mas ele não podia, não devia. O lago mandava de volta pro céu o reflexo pálido da Lua em sua superfície espelhada. Pensando em tudo o que tinha acontecido, tudo pelo que tinham passado, ele tinha ainda mais certeza de que a amaria pra sempre e isso o matava por dentro. Como puderam fazer isso com ele, com eles. Eles não sabiam, mas isso não importava, não agora. Ele parou de frente pra ela, e como sempre sentia o peso do mundo diminuir, mas o peso em seu coração aumentava. Como ele ficaria longe dela, não suportaria.
Ela deu um meio sorriso e disse despreocupadamente:
-Oi!
-Oi- respondeu ele num tom abafado.
-Como se sente de volta ao lar?
-Eu nunca parti de verdade, mas me sinto bem e estranho ao mesmo tempo- ele não podia mentir pra ela e não conseguiria se tentasse.
-Isso tem alguma relação com o fato de você ser meu irmão mais velho?-ele não conseguiria pensar assim, não depois de tudo que aconteceu, ela sempre fora mais forte que ele.
-Eu nunca vou me acostumar com isso. Ainda não sei como puderam fazer isso com a gente.
-Você acha que mudaria alguma coisa?-perguntou ela olhando em sua alma.
-Como assim?-ele sabia exatamente o que era, mas tinha medo de assumir.
-Nossos pais não podiam fazer nada, s...., nosso pai nem sabia. Minha mãe era uma cigana de 15 anos que veio pro castelo cuidar do príncipe, de você. Eles se apaixonaram, ele foi embora, eu já vivia dentro dela e ela se casou com nosso tio.-ela deu uma risadinha- Quem podia imaginar isso? E eu acho que eu te amaria de qualquer jeito-disse ela olhando pro chão.
Ele fez uma coisa que não fazia a anos, desde aquela noite em que perdera o chão, perdera o que mais amava, descobrira tudo. Ele ergueu sua mão ao rosto dela. Fazia anos que ele não a tocava, não aguentava a culpa de ainda a desejar depois de tudo. Mas a vontade de tê-la era mais forte que ele. Ele encostou a mão em seu rosto macio, tinha esquecido de como aquela pele clara era quente, e o que sentiu fez com que a lembrança dos melhores dias de sua vida viessem à tona e isso provocou uma onda de culpa maior ainda.
-Eu te amo- disse ele quase em um sussurro.
-Eu te amo-respondeu ela com um lágrima caindo pelo rosto. Ele nunca esqueceria ela, e sabia disso agora.
Ele segurou o rosto dela com as duas mãos e beijou-lhe a testa, agora lágrimas também caiam de seus olhos. Ela era o que ele mais amava. Como suportaria a vida sem ela ao seu lado?
Ele não sabia a quanto tempo estavam ali, apenas se olhando, detectando o que o tempo fizera com as feições de cada um. Ela estava ainda mais linda, e ele pensou que isso não fosse possível. Talvez tivessem passado anos, quando ele ouviu sua voz embargada pelo choro baixo:
-Deixe eu ir.
Ele não entendeu:
-Como assim?
-Me solte agora, não sei se o fato de você ser meu irmão mais velho me pararia se eu continuar tão perto de você.....- sua voz foi morrendo enquanto a compreensão tomava conta de ambos. Não importava o que eles eram, eles se amavam e se amariam pra sempre. Nada podia mudar isso.
-Você sabe que nunca poderei te deixar ir completamente.- os dois sabiam o que ele queria dizer.
-Então me deixe ir só dessa vez, ou mais tarde não nos arrependeremos- ele sabia que ela estava certa- mas nossa culpa acabará conosco.
Muito lentamente ele baixou as mãos e se afastou um pouco. Ela foi caminhando ainda mais lentamente enquanto olhava pra trás, para ele.
-Sophie!
Ela virou-se
-Lembra que você respondia todas as perguntas que eu fazia e eu disse que ainda encontraria a pergunta que você não poderia responder?
Ela riu e o coração dele pulou. Um efeito normal, ele pensou.
-Claro que lembro!
-Acho que eu encontrei.
Ela esperou
-E quando o que você mais quer é a única coisa que você não pode ter?
Ela riu e entendeu:
-O dia em que eu souber a resposta, nós seremos as pessoas mais felizes desse mundo.
E ele ficou parado, sentindo-se impotente, enquanto ela se afastava"


by Desi Lyra

5 O que o povo achou, ache você também!:

Pablo Vinicius disse...

Ta lindo Deeeehhh!!
maravilhoso, parabens msm, vc escreve muito bem =)

Lucas disse...

Querer pode nem sempre ser sinonimo de poder, mas, isso não nos tira o direito de tentar, lutar e ao menos sonhar.

Bjxxx

Gabriela M. disse...

ai eu choro. :|

Cris disse...

Gostei um tantão assim ó.............................................................................................................................................................. xêro procê!

escritorasteens disse...

Amigaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!
1- o blog ta lindo³³³³
2- temos mais uma coisa em comum = micos!
3- o texto abaixo é perfeito...me lembra dos nossos "probleminhas" rs
4- tem mais um selo pra vc la no blog
5- mas nao menos importante: EU ADORO VC!
♥♥♥♥♥♥♥
Bjks
Nath Souza

Postar um comentário

Respira fundo e vai. Deixa o coração falar.

 

Blog Template by YummyLolly.com
Sponsored by Free Web Space